Voltar

Trabalho remoto (parte 2)

Na primeira parte deste artigo foram apresentados alguns argumentos positivos para empregador e empregado e que justificam a implementação (ou, pelo menos, a ponderação para tal) por parte das empresas. Foram referidos os ganhos em termos de poupança de tempo e dinheiro e o impacto nos trabalhadores e no seu bem-estar, motivação e produtividade na empresa.

Então e a equipa? Trabalho remoto é interessante mas os colaboradores não perderão o contacto pessoal com os seus colegas? Não se sentirão isolados por falarem apenas à distância e lidarem com os seus colegas através de texto escrito? Cada pessoa é diferente, e cada um lidará de forma diferente. Afinal, trabalho remoto pode não ser adaptado para qualquer pessoa por esta razão e por outras. A questão do contacto humano é importante de ter em conta e não deve ser negligenciada.

As vantagens de trabalho remoto não devem criar uma situação em que o colaborador não sabe com quem está a trabalhar. Uma boa equipa é uma equipa que se conhece, que confia, que se ajuda, que é próxima, e esta relação é mais forte se houver contacto presencial. Assim, a empresa tem de ter presente que tem de ser responsável em promover ações de team building para os seus colaboradores interagirem e socializarem.

Nestes eventos, as pessoas poderão falar, divertir-se, trocar ideias, fazer exercício, aprender. Importante é que sejam momentos de partilha e boa disposição e que fortaleçam a coesão da equipa. A frequência destes eventos deverá ser adequada. Não muito esparsos, para manter a coesão forte; mas não muito frequentes, até porque isso incorreria em despesa para a empresa e requereria que os trabalhadores tivessem de, frequentemente, deslocar-se ao local o que é exatamente o que a abordagem do trabalho remoto aqui apresentada tenta evitar.

Outro factor muito importante que beneficia a empresa é a competitividade. Uma empresa com uma política de trabalho remoto e com uma metodologia adequada que permita ter bons resultados e os seus trabalhadores motivados, será uma empresa desejável para se trabalhar. Assim, na hora de escolher um trabalho, um candidato irá ter essa empresa em conta pois saberá das vantagens oferecidas. Um bom profissional com grandes valências apresentará a sua disponibilidade para colaborar com essa empresa. Isto é vantajoso para ele (porque irá trabalhar com boas condições) e para a empresa (porque contará com um bom profissional).

Ainda dentro deste ponto, há a questão da eliminação da barreira geográfica na criação de uma equipa. Uma empresa que quer contratar alguém tipicamente tem de escolher profissionais que vivam perto do escritório ou que se queiram mudar para perto, o que é muito limitador. Se uma empresa de Lisboa encontrar o candidato ideal e este vive em Vila Real, e que queira continuar a viver em Vila Real, a empresa vai perdê-lo, e isto quando ele podia perfeitamente trabalhar na atual área de residência de forma remota.

Ao criar políticas de trabalho remoto a empresa deixa de ter de procurar localmente. A área geográfica onde pode encontrar colaboradores passará a ser muito maior. No limite, a área de pesquisa será o Mundo inteiro. Aqui, uma vez mais, depende da metodologia existente e da sua capacidade para adotar outras culturas, línguas, fusos horários. Mas, em potencial, elimina-se por completo a limitação geográfica para a formação de equipa.

Claro que nem todos os trabalhos podem ser feitos remotamente. Um cozinheiro tem de estar na cozinha do seu restaurante para poder trabalhar. Um polícia tem de estar na rua a patrulhar. Um lojista tem de estar na sua loja a atender os clientes. Mas mesmo esses têm benefícios com o trabalho remoto de terceiros. Comece-se pelo trânsito. Uma pessoa que trabalha a partir de casa deixa de ter de enfrentar o trânsito mas além disso deixa de ser parte desse trânsito. Assim, quantas mais pessoas trabalharem a partir de casa, menos trânsito haverá nas ruas beneficiando aqueles que têm de o enfrentar para ir trabalhar. Este ponto tem outra consequência óbvia: o trabalhador reduz a sua pegada de carbono, tornando-se mais ecológico, o que é bom para todos.

Também, com o tempo extra e com o dinheiro poupado (derivados do trabalho remoto), a pessoa pode fazer férias, comprar mais, fazer mais atividades, jantar fora mais vezes, o que irá beneficiar o turismo, os restaurantes, as lojas, os serviços, etc.

Em resumo, estão aqui algumas das principais vantagens para o empregador, o empregado e para a sociedade. A mudança está a iniciar. As empresas começam a perceber e a adotar o trabalho remoto. Tendencialmente, isto passará a ser a norma para várias profissões e as empresas que não se adaptarem não conseguirão ser atrativas, não terão os melhores profissionais e, no limite, não sobreviverão. O trabalho remoto funciona e dá frutos. É importante ter em conta que não funciona só porque sim. É preciso ter uma equipa coesa, boa comunicação, respeito, controlo. É preciso que o empregado tenha condições de trabalho em casa, o que requer algum investimento.

É necessário que a empresa aprenda a quebrar barreiras e preconceitos. É preciso adotar uma metodologia correta. Não há uma receita única para o sucesso. Cada caso é um caso. Mas em todo o caso, havendo uma correta implementação, o trabalho remoto é interessante.

 

Desde o início de atividade, a Estamos Juntos tem uma política de trabalho remoto. Criou a sua própria metodologia de comunicação e controlo, tendo esta evoluído ao longo de diferentes projetos e equipas até ter chegado a um estado de maturação que a torna flexível, bastante completa e altamente eficaz.

Os colaboradores da Estamos Juntos trabalham a partir de casa, do escritório, do centro comercial ou onde se sentem confortáveis e em qualquer sítio do Mundo. Já tivemos em simultâneo colaboradores a trabalhar a partir da Europa, Ásia, África e América do Sul, com vários fusos horários. A nossa língua oficial é o português mas quando se justifica usamos a nossa língua internacional, o inglês, que todos os colaboradores dominam. O resultado observado é claramente positivo.

A Estamos Juntos ajuda outras empresas que queiram implementar trabalho remoto e fazer desta uma realidade para o seu dia a dia. Trabalhamos na identificação de métodos de controlo, de fluxos de informação, de modos de comunicação e todas as soluções que melhor se adaptam a cada empresa, a cada equipa, a cada projeto.

Nós podemos ajudá-lo a tornar o trabalho remoto uma realidade com resultados para si e para o seu negócio também. O trabalho remoto funciona connosco. Consigo também poderá funcionar. Pergunte-nos como.

training
A Estamos Juntos promove a saúde e o bem-estar dos seus colaboradores com sessões de treino físico com um treinador pessoal nos dias de encontro no escritório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *